1 Mero Desplugado #1 – Basta Qverer

Basta querer, do latim Basta Qverer.

            O basta querer é uma expressão satírica criada no grupo VRP-JPBF e que hoje é amplamente difundida em diversos grupos e submundos da internet.

            A expressão basta querer tem como objetivo fazer uma crítica bem humorada a uma determinada linha de pensamento, presente no imaginário brasileiro.

            Essa linha de pensamento segue a ideia de que o sucesso ou o fracasso de um indivíduo no Brasil é majoritariamente ditado pelo desejo desse indivíduo de vencer.

            Ou seja, se você não venceu é porque você não quis o suficiente. E, o contrário também é válido, se você venceu é porque você quis vencer o suficiente.

            Essa linha de pensamento, muito comum em brasileiros que tiveram seu cérebro doutrinado digitalmente pelo liberalismo, tem como principal falha a incapacidade de ver que muitas vezes, por mais que se queira vencer, a vitória é impossível.

            Então, na visão de alguém basta quererpillado. Ou seja, de quem tomou a basta querer pill. A sua vitória ou a sua derrota na vida depende só de você mesmo.

            O basta quererpillado ignora as lições do Enchiridion, um livro do filósofo estoico Epictetus.

            Nesse livro, Epictetus mostra que existem na vida coisas que estão e coisas que não estão em nosso controle. Para o filósofo, o homem deve buscar se preocupar somente com aquilo que está em seu controle.

            A distinção entre o que está e o que não está sob o nosso controle é totalmente ignorada pelo basta quererpillado que, em seu delírio esquizofrênico, acha que toda a realidade material do cosmos pode se dobrar a vontade daquele que quer o suficiente.

            Essa visão basta quererpillada, em minha humilde e ignorante opinião, tem suas origens no pensamento iluminista que, ao negar a realidade cristã, coloca o homem como o centro do universo e a medida de todas as coisas (assim também pensava o sofista grego Protágoras).

            Ou seja, como o homem é o centro de tudo, pode o homem tudo aquilo que ele quiser. A realidade não importa, o que importa é o querer humano. Se você quiser vencer, basta querer.

            O basta quererpillado, por estar totalmente controlado e bitolado com a ideologia liberal, ignora totalmente as condições materiais e a condição de miséria existencial do humano pós queda do éden.

            Me pergunto aqui, meio sem resposta, se o basta quererpillado pensa desse modo porque é realmente ignorante (ignorante no sentido de ignorar a realidade) ou se a ideia do basta querer é um mecanismo de defesa mental construído para conseguir suportar a condição de miséria existencial humana.

            Nesse caso, o basta querer seria aquilo que entendemos como um coping. Entraremos na ideia de coping em um futuro texto então, se você não entendeu essa parte, fique tranquilo.

            Mas, além de poder ser coping e além de poder ser o resultado da ignorância, o basta querer pode ser mais uma coisa, uma ferramenta de dominação.

            Apartir do momento que se implanta na cabeça de uma pessoa que a vitória ou a derrota dela depende cem por cento de seu querer, remove-se aí toda e qualquer responsabilidade alheia com relação a vitória ou ao sucesso daquela pessoa.

            Exemplificando, se você queria abrir um negócio e não conseguiu a culpa é sua que você não quis o suficiente. Nesse caso, você aceita a sua derrota porque você acredita que ela é culpa sua e não rebela contra o sistema anticristão.

            A culpa de você não ter conseguido abrir um negócio é sua, e não dos anões de gringotes que te cobram 450% ao ano em empréstimos bancários.

            A culpa de você não ter conseguido abrir um negócio é sua, e não de uma máquina burocrática brasileira infernal que te impede de gerar valor.

            A culpa de você não ter conseguido abrir um negócio é sua, e não de você nascer em um país propositalmente desindustrializado e colônia agrícola de superpotências internacionais.

            Nesse sentido, o basta querer é sim uma ferramenta mental de dominação, uma ferramenta que existe para que você não se rebele e continue trabalhando em um sistema anticristão e que, por ser anticristão, é também um sistema antihumano.

            É importante ressaltar que, os críticos do basta querer não devem nunca cair para o lado oposto do basta querer, que é o modo marxista de ver a responsabilização humana sob seus atos.

            O marxista acredita que a vontade individual conta em absolutamente nada para o sucesso ou o fracasso de alguém, o que, na minha opinião, é algo tão ou até mais errado que a visão do liberal.

            O liberal peca por achar que o humano tem controle absoluto dos seus resultados e, o marxista peca por achar que o humano não tem controle nenhum.

            Aqui, temos mais uma vez a sabedoria de Aristóteles se manifestando: a virtude é o meio termo entre dois extremos.

            A verdade é que temos sim algum controle sobre nossas vidas mas, também não temos um controle absoluto. Controlamos algumas coisas e algumas outras coisas não.

            Não se sinta péssimo se você tentar vencer e não conseguir. Também, não seja um preguiçoso que põe sempre a culpa de seus fracassos nos outros.

            A vida é muito mais complicada do que parece e não existem boas soluções simples para problemas complexos.

            Você pode se esforçar para caralho na empresa que você trabalha, vestir a camisa da empresa. Você pode trabalhar todos os dias da semana até fora do horário de trabalho na empresa. Você pode ser o melhor funcionário, ser melhor até que o chefe.

            Contudo, isso não é garantia nenhuma que final do ano você será promovido. É provavel que no final do ano quem seja promovido seja o filho do dono da empresa.

            Sim, aquele maconheiro de merda que chega atrasado, que briga com os clientes e que trabalha numa má vontade que certamente o levaria à demissão caso ele não fosse filho de quem ele é.

            Nesse caso, o seu querer não importa de absolutamente nada na sua promoção, nesseo caso, você está jogando um jogo de cartas marcadas.

            Mas, em alguns casos, o você se esforçar vai sim te levar a bons lugares e aí entra a questão do γνῶθι σεαυτόν.

            Cabe a você entender em quais casos você tem controle sobre o sucesso e quais casos você não tem. E, aqui novamente voltamos ao estoico Epictetus.

            O bem viver é viver sabendo o que temos e o que não temos sob o nosso controle e como devemos agir diante do que está ou não está em nosso controle.

            Por hoje é isso, muito obrigado e que Deus tenha misericórdia dessa nação.

Att. Homero Damo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *